BOTUCATU 10/09/2016 15:05

Pesquisa eleitoral para prefeito é retirada do site do TSE

Uma pesquisa eleitoral para prefeito que seria realizado em Botucatu foi retirada do site do TSE -Tribunal Superior Eleitoral. Até agora nenhum resultado foi divulgado para saber quem está na frente da disputa.

Segundo apurou a reportagem donAgência14News, a mesma empresa que foi contratada para fazer o levantamento teria retirado a publicação do ar. Isso pode ocorrer quando não interessa ao contratante divulgar a pesquisa e assim retira-se do ar o seu registro e não pública-se o que foi apurado.

O site Agência14News procurou o cartório eleitoral de Botucatu que também confirmou que a pesquisa não constava mais no site.

A assessoria de imprensa do TSE somente se manifestou informando que todas as pesquisas cadastradas ficam no site, informando o link onde as mesmas poderiam ser consultadas.

A pesquisa feita por uma empresa de Minas Gerais foi registrada no dia 03/09/16 e a divulgação estava marcada para o dia 09/09/16 (sexta-feira), mas não ocorreu.

A empresa contratada para fazer a pesquisa também foi procurada por e-mail e telefone, mas não houve resposta.

O valor da pesquisa foi de R$ 8.500,00. Estavam para serem ouvidas 383 pessoas nesse levantamento.

No documento postado no TSE e que depois foi retirado do ar constava que era uma pesquisa Quantitativa realizada com entrevistas pessoais em domicílio, com aplicação de questionário estruturado de uma amostra representativa do eleitorado da cidade de Botucatu.

No questionário constava que seria perguntado em quem a pessoa irá votar sem citar os nomes dos candidatos, depois é feita a pergunta com os nomes dos postulantes, se a pessoa tem o voto como fechado, e ainda é apurada a faixa de renda, idade e escolaridade do eleitor.

Seria feito levantamento de sexo, idade e grau de instrução dos eleitores com margem de erro de 0,50 pontos percentuais.

Mais sobre a publicação da pesquisa:

Ainda trazia a empresa relatando que os entrevistadores utilizados seriam selecionados e treinados para o trabalho de campo, com cada entrevistador identificado com crachá contendo o nome da empresa e o telefone da mesma. “Os coordenadores de campo acompanharão “in loco” a coleta de dados, além de serem conferidos posteriores a partir do telefone do entrevistado ou endereço (pelo menos 20% dos entrevistados) para garantir a veracidade dos dados”, trazia a publicação.

“Internamente, todo o material é criticado, codificado, digitado e, antes do processamento final, realiza-se a conferência da digitação (consistência dos dados). Dados relativos aos municípios e bairros abrangidos pela pesquisa. Na ausência de delimitação do bairro, será identificada a área em que foi realizada a pesquisa(conforme §6º. do art. 2º. da Resolução-TSE nº. 23.453/2015, Até o sétimo dia seguinte ao registro da pesquisa, será ele complementado com os dados relativos aos bairros abrangidos; na ausência de delimitação do bairro, será identificada a área em que foi realizada)”, dizia o anúncio oficial da pesquisa.

Amostra seria apresentada até o 7º dia seguinte ao registro da pesquisa, conforme expresso no art. 2º, §6º da Resolução 23.453/2015 do TSE.

Segundo o Cartório Eleitoral de Botucatu a pesquisa estava autorizada a ser divulgada assim que fosse finalizada.

Os candidatos em Botucatu a prefeito e vice são: Daniel Carvalho-Gustavo (PSOL), Érick Facioli-Cátia Fonseca (PT), Mário Ielo-Caco Colenci (PDT-PV), Mário Pardini-André Peres (PSDB-PCdoB) e Reinaldinho Moreira-Lelo Pagani (PR-REDE).