FAZER O BEM 10/11/2019 17:35

Morador de Botucatu cria página para dar visibilidade e ajudar quem vive nas ruas

Eder e o filho ofereceram café para homem que pagava latinhas nas ruas.

O cabeleireiro Eder Souza Abreu, de 32 anos, decidiu criar uma página no Facebook chamando a atenção para as pessoas que vivem nas ruas.

"Alguns reprovam a atitude de postar, mais se não postarmos ninguém nunca saberá de fato o que eles passam", disse ao site Agência14News.

Um dos casos postados por ele neste domingo foi de uma pessoa que estava nas ruas pegando latinhas para vender e o cabeleireiro acabou oferendo café da manhã a esse cidadão. Na hora ele estava com o filho de 20 anos que ajudou também.

A postagem dele dizia o seguinte: "Esse é seu José, passando de carro eu e meu filho, vemos ele sentado na beira da rua junto com suas latinha, com uma carinha triste. Resolvi voltar, parei próximo a ele e perguntei se estava bem. E se ele já havia comido algo. Ele me respondeu que já estava um dia sem comer”.

“Aquilo me cortou o coração, então o coloquei no carro e saímos para achar uma padaria e pagar um café a ele. Ele estava radiante de felicidade, não estava acreditando que iria tomar um bom café. Chegamos na padaria, ele todo humilde pediu um café com leite e um pão na chapa. Falei que ele poderia comer o que tivesse vontade, então meio acanhado ele pediu um espeto de frango. “Depois disso o levamos embora, deixamos ele em seu destino, nos abraçou e agradeceu muito. Às vezes tem coisas simples que se pode fazer, coisas que estão em nosso alcance, então as fazemos, sem se preocupar com olhares preconceituosos de reprovação. Sou feliz assim, e nada irá fazer eu mudar minhas atitudes. Que Deus abençoe o seu José e a todos nós", finalizou sobre essa pessoa.

De um lado algumas, diz ele, as pessoas elogiaram a atitude e outras criticaram por expor a atitude que teve.

 

"NÃO CONSIGO PASSAR POR ELES SEM PERGUNTAR COMO ESTÃO, SE ESTÃO BEM, OU PRECISANDO COMER"

O cabeleireiro contou sobre ter começado a ajudar. "Então, já vem de muitos anos atrás, sempre me senti próximo a eles, eles me chamam a atenção, não consigo passar por eles sem perguntar como estão, se estão bem, ou precisando comer. Estou em Botucatu há 2 anos, então resolvi criar um perfil, como se fosse um Mendigo, então começaram a denunciar o perfil, aí tive que assumir minha identidade para que não o perdesse", contou.

"Achei legal a ideia de dar visibilidade a essas pessoas, sou Cabeleireiro aqui na cidade, e sempre que posso corto o cabelo dos amigos de rua, como costumo chamá-los. E gosto de divulgar, pois assim chama a atenção e incentivam as pessoas a fazer o mesmo".

 

FILHO QUE ENCONTROU NA VIDA

"Meu filho não tinha pai, só mãe, então como eu conhecia a família dele, me ofereci para criá-lo como filho, a mãe aceitou e até hoje ele está comigo", diz ele sobre o filho que adotou com  14 anos.

 

“NÃO DOU DINHEIRO”

“Sobre o trabalho da prefeitura acho interessante, mais sou daquele pensamento, o dinheiro é meu faço o que achar melhor com ele. Claro que não dou dinheiro, e sim tento dar um dia diferente a eles, como levar para comer algo, ou dar algo para se alimentar. Acredito que todos que podem têm que ajudar sim, seja qual forma for”.

 

MUDANÇA NA VIDA

“A com certeza, me faz muito bem, é satisfatório poder ajudar, poder ouvir uma pessoa, até mesmo dar um simples abraço. Me fez ser mais humano, aprender a amar o próximo, se por no lugar deles”, destacou. Veja a página: https://www.facebook.com/jose.mendigo.56

 

ATUAÇÃO DO PODER PÚBLICO

A Prefeitura tem divulgado uma campanha para não dar esmola e diz que muitas vezes algumas pessoas em situação de rua – que têm família mas não volta para a casa por vício ou outro problema – não aceitam ir ao Espaço Acolhedor, porém sempre há uma tentativa de ajudar oferecendo algo melhor como qualificação para que tenham um futuro com maior dignidade.

 

(do Agência14News).